Árvore Solar

IFG tem árvore solar nos Câmpus Goiânia e Itumbiara

Para ler mais, clique no link a seguir:

Árvore Solar no Campus Goiânia do IFG

Anúncios

PODER MAIOR

PODER MAIOR

Por mais uma vez no Brasil
A essência humana do sujeito
O permitiu conquistar respeito
E muita admiração.
Sua liderança é incógnita
Ninguém sabe como será
O que ele irá aprontar
Ao assumir o poder.

Independente das suas diferenças
O líder que o antecedeu
Da mesma forma apareceu
Como solução dos problemas.
Depois de um tempo no poder
O que o fez descer o abismo
Sendo verdade ou não
Para todos, é uma grande lição.

Tendo o eleitor como avalista
Fundamentado na constituição
Ao assumir o poder maior
Na condução desta grande nação
O eleitor cobra-lhe discernimento e retidão
Em todas as suas ações
De forma ampla e democrática.

Aos que confiaram conduzindo- o
Ao  cobiçado  cargo eleitoral
Resta-lhes apenas a expectativa
Do resultado que por certo virá
Quando o seu mandato findar.
Uma coisa já é certo
Agradar à todos, não dá.

TOMA LA DÁ CÁ

TOMA LA DÁ CÁ

Por meio do toma lá dá cá
Os políticos tradicionais
Empoderaram-se ao ponto
De abandonaram seus eleitores.
Os eleitores por sua vez
Cansados dos atos promíscuos
Dos então seus representantes
Mudaram seus objetivos.

Buscando renovar seus ídolos
Por meio de outras opções
Usando a comunicação contemporânea
A qual muitos não acompanharam
Renovando também a linguagem
Não foram induzidos pelo poder das palavras
Ditas pelos bons oradores.

Desta forma o poder central do Brasil
Com o surgimento de um novo ídolo
Respeitando o poder soberano do povo
Uma vez que do povo o poder emana.
E os valores da democracia
Por mais uma vez teve
Um novo rumo traçado.

O então novo mandatário
De aparência não letrada
Falando a então língua que o povo
Como eleitores queriam ouvir
Assume o poder maior.
Aos políticos tradicionais resta
Fazerem uma reflexão profunda
Dos seus vícios e práticas
Para na contemporaneidade
Se atualizarem como tal
Renovando suas práticas
Com o ser digno e ético
Abandonando o toma lá dá cá.

ETERNOS DEVOTOS

ETERNOS DEVOTOS

Em seguida a noite nebulosa
Distante no horizonte surge o sol
Exibindo todo seu esplendor
Dizendo que o amor ao manifestar-se
Torna-se de fato vencedor.

Ao vencer rústicos obstáculos
Aparentimente intransponíveis
O amor eleva-se ao mais alto nível
Onde verdadeiramente é o seu lugar.

A penumbra oriunda de algoz
Como apologista de extremo rigor
Jamais irá fazê-lo vencedor.
Quando o amor e a paz são soberanos
E juntos em perfeita harmonia
Proporcionando todos os dias
A esperança de um futuro melhor.

Em lindas noites, noites de luar
Por certo iremos repousar
Sem nos preocuparmos com o que virá.
O positivismo que da paz e do amor emanam
Neste novo momento da vida
Será nosso Porto Seguro
Como promissor norte iluminado.
Nós, que da paz e do amor
Somos e seremos devotos.

QUESTIONAMENTOS

QUESTIONAMENTOS

 

Os questionamentos que surgiram

Desde os primórdios anos de minha vida

Encumbiram-se de moldarem o meu “eu”

Preparando-me para o “ser” que hoje “sou”.

 

Os inúmeros questionamentos

Surgidos um após o outro

À cada nascer de um novo dia.

São momentos de aprendizados

Provocados pelo que me foi revelado

Ampliando o horizonte do meu conhecimento.

 

Quanto mais neste horizonte avanço

Percorrendo infinitos labirintos

Mais descubro o quanto pouco sei.

E o quanto tenho que aprender

Para tornar-me um ser perfeito.

 

Descubri que verdades existem

No mesmo tema que foi analisado

Dependendo do foco que foi dado

E do discernimento do sujeito em si

Na sua valiosa individualidade.

 

Cada um tem a verdade que quer

Ao definir a vida desejada.

Para dar significados à ela

No enfrentamento da própria realidade

Situações são interpretadas.

 

Desta forma as lógicas advindas

Das buscas por mim alvejadas

Aos poucos foram desvendadas

Proporcionando-me aprendizado

De extremo significado e singularidade

Para a construção da minha verdade.

 

Vivendo como aprendiz da vida

Descobrindo dela a essência

Novos questionamentos surgirão

No rítmo da sua dinâmica

Para que nada passe em vão.

E como indicativo preciso

Do que por certo no futuro serei.

 

CANTAR DO SABIÁ

CANTAR DO SABIÁ

 

Como é gostoso ouvir

O cantar do sabiá

Cântico lírico a ecoar

A mais profunda razão do “ser”.

 

Sentir o teu cântico entranhar

Nas entranhas da lembrança

Para depois se lembrar

O quanto é prazeroso viver.

 

Viajar por meio do pensamento

Entrando mata adentro

Ouvindo todos os seus sons.

Sons da natureza a externa-los.

 

Nesta contemplação audio visual

Produzida de forma natural

Lembrar-se do cantar do sabiá

É alimentar a pureza da alma.

 

É por meio do pensamento levitar

Sobre a natureza florida

Sentindo a essência da vida

Como verdadeiramente ela “é”.

Sublime, maravilhosa e bela.

 

São delícias que só são persebidas

Quando se vive em dimensão mais alta

Degustando suas maravilhas

Assim como vive o sabiá

Em meio à natureza feliz a cantar.

 

 

O QUE É SER POETA

O QUE É SER POETA

 

Se alguém perguntar-me

O que é ser poeta?

Não saberei explicar!

Direi apenas que ser poeta

É ser dono de um amor ilimitado

É amar simplesmente por amar

Amar em troca de nada.

Sem se preocupar que também é.

 

 

E assim vivendo a vida

Na dimensão do amor

Entre espinhos e flôres

Dela sempre a falar.

Falar das idas e voltas

Entre aclives e declives

Sozinho em alto mar

Enfrentando tempestades.

 

E neste jeito de viver

Os aliados do poeta

É a caneta e o papel

Nas horas silenciosas a sós.

Se é a resposta esperada, não sei!

A única coisa que sei

É que como aprendiz da vida

Por certo irei aprender.

 

Talvez quando eu aprender

A nova resposta que darei

Irá convencer alguém

Quanto ao que é ser poeta.

Enquanto isto não acontece

Vivo esta vida incerta

Na esperança de um dia estar

Entre os vencedores a comemorar.