AMOR PROIBIDO

Tô de mala e cuia, tô indo embora, vou pra bem longe, caminhando mundo afora, sem saber onde parar.

Vou… Em uma ida sem volta, por não ter mais jeito, pra o nosso amor continuar! Levo comigo feridas, que o tempo, há de cicatrizar.

Até já consultei, um guru meu amigo, para saber dele, o que devo fazer, para te esquecer, e dar-me, chance de viver.

Ele respondeu-me, isso é impossível! Amor proibido… Amigo… Não tem jeito! É amor inesquecível!

Quanto mais se tenta, arranca-lo do peito, mais ele enraizado e persiste, em todos os instantes, quer brotar. Por isso é difícil, dele se livrar!

Quanto mais se tenta esquce-lo, mais ele perturbar. Com tanto desejo e poder, que pode até matar.

Por isso, tigo-ti, amigo! A única forma que existe, para amenizar seus efeitos… É colocar outro amor no lugar! Siga tua vida! Amor proibido… É amor impossível.

Autor: Ademildo Teixeira Sobrinho

A VIDA É BELA E ETERNA

A volta dos ídolos, idos, esquecidos, nos palcos musicais da vida, em momento de pandemia. Faz renascer a esperança, que ela tem que continuar. Viver é presente de Deus! E poder dizer, estou vivo! Com potencialidades artísticas, pronto para mostrar a voz, ou exercer outras atividades, é prazeroso demais.

Essa é a leitura que faço, nessa abertura de programa, com potencialidades para acionar, a reinclusão social, e fazer resurgir a esperança, em todos que por momentos, sentiram e sentem, na vida dificuldades, para vivos e ativos continuarem.

Diante do resurgir da esperança, que a vida está a nos proporcionar, vamos acreditar que a pandemia, é apenas, mais um obstáculo a ser vencido, rumo a felicidade eterna. Felicidade essa que na terra, iremos desfrutar mais e mais, com a certeza que o tempo vencido, não significa o fim da vida. A vida é bela e eterna.

Autor: Ademildo Teixeira Sobrinho

LACRADOR

Embora o dizer que diz: “quem lacra não lucra”, ter sido usado por, e para grupos específicos de pessoas. Em certas ações e atividades de grupos humanos, a princípio não contextuslizados, a ironia dos fatos, os incluí, de forma explícita e transparente, que só não vê, quem não quer.

Na política contemporânea, se vê, pessoas pousando de lacradores renomados, ornando pretenciosas poltronas, para outros nelas sentarem. Nesse contexto, o dizer que diz: “o tiro saiu pela culatra”, na prática, torna-se uma evidente e dolorosa realidade, para o perdedor. Pois, o lacrador ao lacrar, almeja ser ele o beneficiado.

Assim a ornamentação de um trono, o qual não o pertence, mas que por um período, pode ser por ele usado, quase sempre transforma-se, em uma desonrosa decepção, para o pretencioso candidato, que tanto sonhou nele sentar, e lacrou as suas pretenções, semeando-as.

A política contemporânea brasileira, quase sempre, está pregando aos seus lacradores, ilusionistas das palavras fantasiosas, peças que eles jamais, colocaram-se, como delas, possíveis vítimas. Isso… Por períodos eleitorais consecutivos, está acontecendo! Dessa forma, fica o alerta aos lacradores, tomem cuidado com as suas lacrações… O sucesso, é fruto de qualificativos éticos! Mais sedo, ou mais tarde, as falcatruas são descobertas.

Autor: Ademildo Teixeira Sobrinho

ÁGUAS CORRENTES

Águas correntes, que como águas ferventes, jorram das belas terras, do planalto central. Que mata a sede, de toda sua gente, de todas as suas aves, e dos seus animais. Que dessem serras, formando belas cascatas, cortando planices, cerrados e matas. Que banham terras, situadas nas margens, e para as cidades, levam lazer e vida.

Águas que a gente, dá vontade de beber, sempre que a gente vê, ou se ouve falar. Que além de serem, riquezas naturais, com todos os minerais, são bonitas de se ver.

Águas correntes, que aos poucos se ajuntam, e seguindo o seu destino, formam o Rio Maranhão. Que ao se ajuntar, com o Rio das Almas, e com o Rio Paranã, formam o Rio Tocantins. Que caudaloso, percorre o sertão, desde muitas gerações, conhecidas ribeirinhas.

Águas profundas, medianas, águas rasas, águas claras e azuis. Rios Tocantins e Araguaia, seguindo juntos, até a sua foz, no Golfão Marajoara. Águas que a gente, dá vontade de beber, sempre que a gente vê, ou se ouve falar. Que além de serem, riquezas naturais, com todos os minerais, são bonitas de se ver.

Autor: Ademildo Teixeira Sobrinho

CHAVE DA PAIXÃO

Você chegou de mansinho, como um passarinho, querendo pousar. Usou a chave da paixão, abriu meu coração, nele veio morar.

Agora sou seu dependente, por que sou carente, dos carinhos seus. Meu corpo depende do seu, o maior desejo, dele é te amar.

Vida… Vida, vida, vida minha; tu és a princesinha, do meu coração. Vida… Vida, vida, vida minha; levou para longe, minha solidão.

Autor: Ademildo Teixeira Sobrinho

MENSAGEIRA DO AMOR

Borboleta você voa, a procura de uma flor, beija o cravo e o jasmim. Beija flor fazendo festa, passeando pela floresta, sua vida é mesmo assim.

Minha vida borboleta, em parte é igual a sua, saio andando pelas ruas. Você procura e acha, eu procuro e não acho, os meus dias são escuros.

Mensageira do amor, faço à ti um pedido, do fundo do coração. Se encontrar minha flor, peça à ela que não deixe, eu morrer de solidão.

Diga que eu a espero, no mesmo cantinho que era, nosso ninho de amor. Esperando-a, com os braços abertos, cheio de ternura e amor, esperando ela voltar.

Nesse meu jeito de ser, de amar e de viver, já não posso mais esperar. Pois… Em cada minuto que passa, a vida com ele vai, e ambos não mais retorna.

Por isso, peço-a, que ouça-me, e atenda o meu pedido… Vamos viver este amor! Vivendo assim… Lado a lado, sem nos preocupar se as horas, estam a passarem ou não.

Autor: Ademildo Teixeira Sobrinho

NOITES E NOITES

Noites e noites, consultei o travesseiro, como fazer-ti uma declaração de amor, que lhe prove o quanto a amo, e que afaste de meu peito esta dor.

Patrick amor emio, Dio como eu te amo, traz-me recordações, dos momentos que passamos. Amor não faz assim, vem pra junto de mim, me ajude ser alguém, sem você não sou ninguém.

OEnquanto o vento insano, na janela murmurava, dentro do meu quarto escuro, sozinho eu estava. O meu coração coitado, no meu peito agonizava, e juntos eu e você, em pensamento imaginava.

Autor: Ademildo Teixeira Sobrinho

EU E MINHA SOLIDÃO

Eu e minha solidão, sem saber o que fazer, pra curar essa paixão, que não para de doer. Ficamos a Deus dará, andando pelas calçadas, com os olhos marejados, coração espedaçado.

Os que por ali passavam, não podiam imaginar, o que estava acontecendo, e sequer me ajudar. A água do pranto e da chuva, misturadas confundiam, os que para mim olhavam, solidão me consumia.

Chuva caindo, eu na calçada, todo molhado, sem minha amada.

Como pássaro sem ninho, na calçada eu andava, de um lugar para o outro, enquanto o tempo passava. Naquele triste viver, sem querer eu buscava, em cada rosto que eu olhava, um pouquinho de você.

Autor: Ademildo Teixeira Sobrinho

MAIS UMA NOITE DE AMOR

Eu queria poder transformar, todos os meus sonhos. Na mais doce aventura do amor, loucamente te amar. Sentir o sabor dos teus beijos, sasciando nossos desejos, deslumbrados com tudo que ele, estará a nos proporcionar.

Entre afagos, e ternas carícias, o ardente calor do momento, temperando o sabor deste amor, sentindo no toque das mãos, os aclives e declives do teu corpo, ouvindo o pulsar constante, da romântica voz dos nossos corações.

Eu queria estar com você, escutando o teu pensamento, sem perder um minuto sequer, fazendo-ti, sentir mulher. E eu… Deslumbrado por estar ao teu lado, onde quer que você esteja, sasciarei todos os teus desejos. Pode acreditar.

Assim… No silêncio da noite, eu deitado ao teu lado, sentindo a irradiação do calor, do teu belo corpo bronzeado, amando e curtindo-ti cada vez mais… Em mais uma noite de amor. É isso que eu quero! E preciso.

Autor: Ademildo Teixeira Sobrinho

LÓGICAS DA VIDA

Explorar os labirintos da vida, para entende-la um pouco mais, faz parte da rotina incansável, dos que colocam-se nela como alunos, a aprender os seus segredos, objetivando melhorar a sua qualidade.

Mas, esses incansáveis guerreiros, vez ou outra, sentem-se mergulhados, em um abismo sem fim, sem referências de limites laterais, altura e profundidade. Em que cada vez mais, a sensação de que pouco sabem, transforma-se na pior das torturas.

Porém todos têm o entendimento, que é preferível e mais acertivo, lutar pela vida, do que desistir-se dela. A monotonia de quem desiste de viver, além de tediosa e destruidora. Pois, leva o sujeito a viver sem razão, sem encontrar nela a emoção e desejo, de nela continuar.

Para entender os grandes pensadores, que preocupam-se, com o estilo de vida ideal, vamos lembrar alguns provérbios, para ilustrar o que é isso: ao buscar a sobrevivência, por meio da alimentação, é preferível dar o tiro na caça. Do que não atirar, devido ao medo de errar.

Assim como a possível colheita, que amanhã faremos, é o resultado do que hoje plantamos. Conforme está escrito, no maior livro da vida: “Faça da sua parte, que da minha te ajudarei”. Isso faz parte das lógicas da vida, para que ele seja melhor, proporcionando mais prazer de viver.

Autor: Ademildo Teixeira Sobrinho