MAHATMA GANDHI

Além do oceano nasceu, alguém com cara de anjo, e a paz a semear. Nada a ver com Hitler. Ele… É Mahatma Gandhi!

Enquanto escrevi esses versos, outros vários nasceram, em sucessão natural, aos que na terra vieram.

Assim, é o ciclo da vida, cumprindo a sua missão, como um dia após o outro, renovando-se à cada manhã.

Nesse renovar da vida, renova também a esperança, dos que crêem no futuro, da então hoje criança.

Em cada criança que nasce, renasce a esperança, que no futuro ela tenha a grandeza, tão grande quanto a de Mahatma Gandhi.

Para dar sequência ao trabalho, que Gandhi nos seus dias começou, em combate sem violência, para a paz ser alcançada.

Por meio da não violência, uma multidão ele liderou, quando sem uso de armas, o inimigo ele derrotou.

Assim foi a sua vida, quando em nosso meio ele viveu, o legado que ele nos legou, é de incalculável valor.

Por certo a humanidade, que viveu no mesmo século em que ele, e conheceu a sua história, eternamente se sentirão honrados.

Nos conflitos contemporâneos, os quais estamos vivendo, de ideologias partidárias, faz falta um Mahatma Gandhi.

Um líder como Mahatma Gandhi, colocaria um fim nos conflitos, por meio da não violência, tanto psicológica, quanto física.

Sem perder a esperança, no amanhã que virá, vamos renovar nossos líderes, para a paz alcançarmos.

Que cada criança ao nascer, seja versão contemporânea, do grande espírito Mahatma Gandhi, exemplo de humanismo e dignidade.

Autor: Ademildo Teixeira Sobrinho

NÃO JOGUES PINGA NO BALCÃO

Por favor não jogues… Não jogues pinga no balcão! Por favor não jogues… Não jogues pinga no balcão! Por que o santo não bebe, nem ajuda limpar o chão, não jogues.

Meu caro amigo, por favor preste atenção, se bebes para esquecer, pagues antes de beber! Não jogues.

Dizem que bêbado não pensa, mas nessa não acredito. Por que se não pensasse, não pensava, em beber! Não jogues.

Ontem de madrugadinha, vi uma coisa interessante, um bêbado quase caindo, dizendo essa eu não bebo! Porque ela é do santo.

Então perguntei à ele, qual a tua religião? Ele me respondeu… Deito com são joão da barra, levanto com são risal.

Em seguida me falou, com muita convocação. Para não me transformar, no futuro um alcoólatra, evito o primeiro gole.

Autor: Ademildo Teixeira Sobrinho