NO SILÊNCIO DA NOITE

No silêncio da noite, meu pensamento vai. Vai em busca do teu sorriso, da meiguice de teu olhar, do calor do teu corpo, em mais uma noite de amor.

Por isso nesses versos, peço-ti… Venha aquecer-me! Em meio ao escuro desta noite, fria e sombria de inverno. Entre quatro paredes, sob a luz do abajur, ver teu corpo desfilar.

Venha sentir meu corpo, para que no toque de minhas mãos, ao deslizar no teu, entre olhares brilhantes e desejos, nossos corpos a contempar, curtindo a penumbra da noite.

Venha para que meus lábios, ao sentir o calor dos teus, em intensa troca de carinho, possam sentir teus sabores, em meio ao calor dos beijos, motivadores dos nossos desejos.

Assim, no silêncio da noite, tudo pode acontecer, entre um casal que se ama, estrelando… Eu e você! Tendo a cama como palco, e o quarto como cenário, mesmo depois que o dia amanhecer.

Autor: Ademildo Teixeira Sobrinho

VIÉS POLÍTICO

A falta de neutralidade, de alguns juristas brasileiros, na ato de julgar as falcatruas políticas, é tendenciosa e perigosa, na construção dos viés políticos, para o atendimento do jogo de interesses. Por meio dos julgamentos construídos, no decorrer do processo eleitoral, a atender determinados nomes ou siglas. Quando a lisura da dinâmica do processo, torna-se um resultado questionável.

O objetivo aqui, não é dizer quem é o melhor, ou o pior. E sim analizar o processo em si, para entender as suas entrelinhas. A mais de duas décadas, que a política brasileira, gira em torno de um nome, que como ser humano normal, cometeu erros e acertos, e por certo cometerá mais, até o fim dos seus dias.

Porém, na última eleição a escolher, o mandatário a sentar no trono, do principal cargo eletivo brasileiro. Aconteceu construção no viés, que direcionou o percurso da eleição, tornando assim decivo, para o resultado final. No processo de acusação e defesa, os então juristas encarregados, para a decretação da sentença, por falta de imparcialidade, influenciaram no resultado final, do então processo eletivo.

Em função dos múltiplos jogos de interesses, em várias frentes de atuação no processo, os possíveis vitoriosos nas urnas, não mantiveram bons resultados. Devido ao número de denúncia, que foram por eles apresentadas. Quando parte do eleitorado, entendeu que eles diziam serem uma coisa, quando na verdade eram outra, com práticas tão erradas ou mais, do que a vítima das suas acusações.

Isso resultou que o vitorioso nas urnas, surgisse de forma inesperada, da parte de um nome pouco conhecido, mas que falou, a língua do eleitorado. A decepção foi tamanha, nos então todo poderosos, coronéis com currais eleitorais, que ainda hoje não assimilaram a derrota.

Mas como o viés político, é um amaramhado de interesses, onde os inimigos de ontem, tornam-se os amigos de hoje, segundo seus objetivos. Os acusadores do passado, nas entrelinhas tornaram-se aliados, hoje atuando em prol de um viés, a anular o bater do martelo, dos juristas que impediram o líder, que a mais de duas décadas, é o nome maior da política brasileira. Isso está a possibilitar, que na próxima eleição, ele poderá se candidatar. Porém, o futuro resultado das urnas, no momento é uma incógnita.

Autor: Ademildo Teixeira Sobrinho