CONOTAÇÃO E DENOTAÇÃO

Ser poeta, é ter a oportunidade de tornarem-se, eterno aprendiz. O poeta ao viajar, na conotação das palavras, está sempre a buscar, além do seu conhecimento, algo que se faz presente, no imaginário humano. A imaginação.

Mesmo ele na vida prática, na rotina do dia a dia, não tendo ainda vivido, as experiências as quais, ele está a relata-las. Por meio do seu imaginário, adentra situações alheias, e com a sua sensibilidade, as vive como se fossem reais, na rotina dos seus dias.

Sempre que isso acontece, a manifestação poética, que brota da sua essência, de repente, o trás novos vocabulários. Vocabulários esses, que levam o, a pesquisar, o que eles estão a dizerem. Para que na construção textual, estejam contextualizados.

Assim o poeta está, sempre a aprender, enriquecendo o seu conhecimento. Desta forma sem dúvidas, pelo Criador ele é privilegiado, na missão que está a cumprir. Vivendo experiências, após experiências, convivendo e aprendendo, a vida ele vai vivendo, percorrendo seus labirintos, de conotação e denotação.

Autor: Ademildo Teixeira Sobrinho

IMPOSIÇÃO DO PODER

A incrementação, de um plano secreto, por mais que com efeitos bárbaros, dependendo, por quem ele foi perpetrado, ganha conotação diferente. Os impérios contemporâneos, de grande potencial bélico, e aeronaves possantes, exploram o espaço aéreo, fazendo observações que lhes interessa, sem que os alvos eleitos, percebam a sua presença. Caso isso aconteça, o tempo do acontecido, muitas vezes, ficou distante no passado.

Normalmente essas observações, detectam riquezas naturais, mapeiam suas fronteiras, e planejam operações secretas. Quando as vítimas menos esperam, as ações já foram perpetradas. E diante das estruturas montadas, muito bem planejadas, para que tudo aconteça, com a menor margem de erros, a ação já está consumada. Devido ao fato de as vítimas, não estarem preparadas, para o enfrentamento de embates, com os então grandes impérios. Acoadas elas sedem.

Por mais que simulam negociações, por meio da diplomacia, pousando de nação amiga. Seus objetivos já foram alcançados. Com o essencial perpetrado, a soberania do império, com o território conquistado, independente do método usado, tem peso de legalidade, mesmo ele tendo usado, artifícios autoritários, contra um menos preparado. Prevalecendo assim o poder, do maior contra o menor.

Autor: Ademildo Teixeira Sobrinho